Blog

7 dicas para sua proposta de honorários advocatícios

7 dicas para sua proposta de honorários advocatícios

Precificar seu próprio trabalho pode ser algo desafiador para novos advogados. 

Durante o período acadêmico, são poucas as informações transmitidas sobre o tema. Por esse motivo, o advogado iniciante pode (e deve) buscar maiores instruções para elaborar o seu próprio modelo de cobrança. 

Trocar conhecimento com colegas da área, levar em consideração alguns itens (como os custos, complexidade do caso, relevância e valor da causa) e até recorrer a tabela de honorários da OAB, são alguns fatores que podem auxiliar na precificação de serviços. 

De todo modo, elaborar uma proposta de honorários advocatícios é essencial, e hoje nós vamos explicar melhor sobre esse item pouco utilizado pelos profissionais, já que muitos partem logo para o contrato de honorários. 

Este conteúdo é direcionado para os profissionais recém chegados no mercado jurídico, mas nada impede que você, advogado experiente, confira nossas dicas e observe se sua proposta de honorários está alinhada com as boas práticas que iremos explicar a seguir. 

O que é uma proposta de honorários advocatícios

De início, é importante sinalizar que a proposta é muito diferente de um contrato de prestação de serviços.

Enquanto a primeira é uma carta de apresentação que formaliza um orçamento prévio, o segundo é mais amplo e contém as cláusulas e demais informações sobre o que foi contratado.

Muitos se enganam ao pular essa etapa da negociação com o cliente e desconhecem o fato de que, uma proposta bem formulada pode aumentar e muito as chances de contratação.

Um outro pensamento bem comum (e errado) entre os advogados, é que o envio de uma proposta de honorários advocatícios só é necessário quando se trata de uma pessoa jurídica. 

Quem atua com pessoa física como seu público-alvo, também pode adotar o envio de proposta antes do contrato. 

A dica nesse caso é ajustar a forma de envio, que pode ser até o WhatsApp, caso seu cliente não tenha o costume de utilizar e-mail. 

Ter uma proposta de honorários advocatícios é um diferencial? 

Sem dúvidas. Uma proposta de honorários advocatícios é capaz de agregar valor para o ofício do advogado, alinhando expectativas e apresentando as fases da entrega a ser feita. 

Um cliente que tem acesso a todas as informações sobre a solução que está pensando em contratar, costuma sentir mais segurança com o profissional que está negociando. 

De nada adianta investir em marketing digital e se posicionar como um bom especialista, sem transmitir essa mesma impressão de confiança na etapa de fechamento de um contato.

É interessante pensar na proposta como uma extensão da sua apresentação, que já foi iniciada por meio do seu site, rede social, anúncio, ou até mesmo indicação. 

E lembre-se: a proposta de honorários advocatícios só deve ser enviada mediante o interesse do potencial cliente. 

Diferentemente de outros tipos de serviços onde é comum enviar propostas com o objetivo de prospecção ativa, na advocacia essa prática é proibida pelo Código de Ética da OAB.

Duas pessoas negociando após envio da proposta de honorários advocatícios

A proposta de honorários advocatícios demonstra o valor que o serviço do advogado irá agregar ao cliente.

O que colocar na sua proposta de honorários advocatícios

Pensamos em algumas dicas para você evoluir na criação do seu próprio modelo de proposta:

1- Nomeie o destinatário da proposta

É importante definir as partes da proposta. Inclusive, uma boa ideia é começar a proposta com a seguinte abertura como exemplo: 

“Sr. Fulano, conforme solicitado/combinado, segue nossa proposta de honorários advocatícios para sua apreciação”.

Caso o envio da proposta seja feito por e-mail, utilize a sigla A/C (aos cuidados) de Fulano. 

Isso é importante, sobretudo, nos casos em que o advogado envia o documento para um endereço de  e-mail do departamento da empresa ou que é utilizado por muitas pessoas. 

Certifique-se que você identificou o máximo possível, e a depender da situação, vale checar se a pessoa de direito recebeu o e-mail com a proposta. 

2- Fale sobre sua especialidade e área de atuação

Não precisa fazer um longo detalhamento, mas aproveite o momento para ressaltar sua especialidade e atuação. 

Tempo de experiência, diferenciais do seu negócio, cases e breves depoimentos de clientes também podem ser explorados nessa etapa da proposta.

3- Descreva detalhadamente o serviço a ser feito

Aqui é o momento de detalhar suas atividades. O que será feito, escopo a ser seguido e os devidos prazos. 

Muitas pessoas contratam um advogado e não entendem ao certo o que esse profissional está fazendo ao decorrer do processo ou acompanhamento, momento em que o procuram com inúmeras dúvidas e aquela sensação de “estou perdido”. 

Por esse motivo, vale a pena detalhar os procedimentos que serão executados durante a prestação de serviço. Esse é um item indispensável na proposta e com alto potencial para demonstrar o valor agregado ao cliente.

4- Inclua o valor do investimento e formas de pagamento

Isso mesmo, investimento.

Evite citar preço ou custo. O indicado é transmitir a ideia de investimento para uma boa solução, defesa ou pedido.

Alguns advogados colocam na proposta somente o valor cheio do serviço a ser executado, deixando para negociar a forma de pagamento com o cliente pessoalmente. 

Não que isso seja errado, mas pode ser interessante registrar os meios de pagamento também no documento. E quanto mais meios de pagamento, melhor. 

Todos gostam de possibilidades.

5- Haverá demais custas ou índice de correção do valor dos honorários após determinado período? Informe!

Além do investimento nos honorários, alguns tipos de demandas têm custas, como as que são cobradas em cartórios, por exemplo. 

Outra situação comum é a correção no valor dos honorários após um determinado tempo, como os percentuais pré-definidos ou taxas de manutenção do processo.

Especificar essas informações por meio de cláusulas na proposta de honorários advocatícios demonstra transparência

6- Defina um prazo de validade para a proposta

Estabelecer uma data limite para o cliente aprovar a proposta e comunicar a escolha para o advogado, traz um senso de urgência necessário. 

Além disso, propostas muito antigas perdem seu valor.

7- Agradeça pela oportunidade de negociar com o cliente

Ao final, eleve o cliente e agradeça pelo início do contato e possibilidade de prestar seus serviços a ele. 

Por fim, salve a proposta em um arquivo PDF (nunca como arquivo de texto editável) e a envie através do canal de comunicação que faz mais sentido, como já dissemos.

E não se esqueça que a linguagem simples e de fácil entendimento deve estar presente em todas as comunicações direcionadas ao cliente. Nada de termos de difícil entendimento.

Conclusão

Saber conduzir o seu atendimento até o possível fechamento com o cliente, é um dos principais fatores de impacto na saúde financeira do seu negócio jurídico. 

Nesse sentido, utilizar a proposta de honorários advocatícios pode ser um diferencial que vai diminuir barreiras durante a fase negocial. 

Esperamos que as dicas deste artigo possam facilitar o desenvolvimento do seu próprio modelo de proposta! 

Melhore seu posicionamento no meio digital

Uma boa plataforma jurídica auxilia na divulgação de seus serviços para que você possa dar atenção a outras rotinas do dia a dia. 

Conheça a MaxJus!

 

Comentários