Google Ads para advogados: atraindo novas oportunidades!

Você já ouviu falar no Google Ads para advogados?

Após as mudanças no Código de Ética da OAB durante o ano de 2021, muitos profissionais do Direito buscam entender do que se trata e como aderir a essa estratégia que faz parte do marketing jurídico.

Não estamos falando de uma novidade do Google, pelo contrário.

Tendo sua primeira versão lançada em 2000, o Google AdWords (como era chamado até então), auxilia milhares de profissionais das mais diversas áreas a anunciarem seus produtos e serviços na internet.

Como essa ação não era permitida pela OAB em razão das exigências quanto à publicidade de serviços advocatícios, eram poucos os profissionais que se arriscavam no Google Ads.

Felizmente os tempos são outros e você, advogado, já pode usufruir da ferramenta para atrair novas oportunidades para o seu negócio.

Para te ajudar a entender mais sobre o que é o Google Ads para advogados, como obedecer aos critérios estabelecidos pela OAB e como otimizar uma estratégia de anúncios para sua advocacia, nós preparamos esse artigo.

Aproveite!

O que é o Google Ads?

Com certeza você já foi impactado com um anúncio de alguém que utiliza o Google Ads como estratégia de marketing digital.

Seja ao fazer uma pesquisa no Google, ao verificar a aba de promoção do seu Gmail ou até mesmo entre um vídeo e outro do Youtube, é possível encontrar anúncios do Google Ads em muitos lugares da internet.

A plataforma de anúncios faz parte de um aglomerado de produtos Google e lidera o mercado de mídia online em todo o mundo.

O próprio Google define a ferramenta como uma solução “que permite que as empresas escolham metas específicas para os anúncios, como gerar mais chamadas telefônicas ou visitas ao site. Com uma conta do Google Ads, os anunciantes podem personalizar os respectivos orçamentos e segmentação, e iniciar ou interromper a exibição de anúncios quando quiserem”.

Basicamente, funciona como um leilão: o anunciante insere os créditos na plataforma e cria anúncios com base em palavras-chave (termos pesquisados pelo usuário) que possam interessar o público que ele deseja atingir.

De acordo com os cliques que o anúncio recebe, o Google Ads vai descontando os créditos do anunciante.

Há uma variedade de segmentações que podem ser trabalhadas para que os anúncios só sejam vistos pela audiência mais qualificada, ou seja, aparecerem somente para quem tem maior probabilidade de visitar um site, preencher um formulário ou fazer uma ligação.

Veja como é feita a estruturação dos anúncios:

Campanhas > Grupos de anúncios > Anúncios

Estrutura das campanhas no Google Ads.

 Campanhas

As campanhas têm a finalidade de organizar as categorias de produtos ou serviços que serão oferecidos por meio dos anúncios.

Algumas definições podem ser escolhidas a nível de campanha, como o orçamento a ser gasto, segmentação por local (região onde os anúncios irão aparecer), idioma, data de veiculação do anúncio, entre outros.

Existem 5 tipos de campanhas no Google Ads: Rede de pesquisa, Rede de display, YouTube Ads, Google Shopping e Discovery. No decorrer do conteúdo falaremos sobre quais são as mais indicadas para advogados.

É dentro da campanha que são criados os grupos de anúncios.

Grupo de anúncios

São nos grupos de anúncios que ficam os anúncios que possuem temas e segmentações semelhantes. Durante a criação do grupo, o anunciante insere todas as palavras-chave que pretende usar.

Assim, quando um usuário fizer a pesquisa que corresponde a uma palavra-chave de um determinado grupo, é acionada a exibição do anúncio.

Anúncios

Agora sim, finalmente chegamos ao anúncio, o único item da estruturação da campanha que é exibido ao público.

Cada anúncio é composto por: URL final, título, caminho e descrição.

  • URL final: página de destino onde o usuário vai ser direcionado após clicar no anúncio;
  • Caminho: link mais curto de até 15 caracteres que aparece abaixo do texto do título. O Google combina o endereço da URL final com o do caminho, para que o usuário possa ter uma ideia da página que está acessando.
  • Título: linha principal do anúncio de até 30 caracteres.
  • Descrição: exibida abaixo da URL final e pode ter até 90 caracteres.

Google Ads para advogados e o Código de Ética da OAB

Quando se fala em Google Ads para advogados, podem surgir dúvidas em relação às permissões do Código de Ética da OAB, responsável por normatizar o uso de publicidade em serviços jurídicos.

Anteriormente, as regras estavam dispostas no Provimento nº 94/2000, um documento que foi ficando ultrapassado ao longo dos anos. Em 2019, a OAB abriu uma consulta para saber o que os advogados e advogadas do Brasil pensavam sobre as regras da publicidade na advocacia.

Com base nestas respostas e também em análises do próprio Conselho, houve uma reforma das normas com o objetivo de regular temas atuais como Google Ads, impulsionamento de anúncios em redes sociais, entre outros.

Com a redação do novo Provimento nº 205/2021, admite-se “a utilização de anúncios, pagos ou não, nos meios de comunicação”, exceto em outdoors, panfletos e outros meios elencados no art. 40 do Código de Ética e Disciplina da OAB.

Este texto é de grande relevância, pois sana uma das maiores dúvidas que existiam na comunidade jurídica e de marketing: a possibilidade de impulsionar posts em redes sociais e usar o Google Ads.

Agora, fica claro que isso é permitido, desde que não se use “meios ou ferramentas que influam de forma fraudulenta no seu impulsionamento ou alcance”.

Qual é a utilidade do Google Ads para advogados?

Um dos objetivos do advogado que sabe o potencial que a internet pode trazer para o seu negócio, é estar presente na primeira página do Google como resultado de alguma pesquisa.

Um dos caminhos para isso é o SEO, um conjunto de estratégias que buscam melhorar o posicionamento orgânico de sites nas páginas do Google.

O outro caminho é o Google Ads, quando o advogado começa a atrair potenciais clientes através de anúncios que também aparecerão na primeira página do Google.

Seja para apresentar um conteúdo jurídico relevante, convidar para fazer uma ligação ou até mesmo solicitar dados de contato, o advogado deve fazer um planejamento.

Muitos profissionais acabam perdendo dinheiro no Google Ads por não estruturar um plano de ação. Criar campanhas e começar anúncios é apenas parte do processo.

Pesquisa de palavras-chave e público-alvo

Profissionais de marketing jurídico costumam classificar o Google Ads como uma solução bastante assertiva para alcançar o público que está na etapa de fundo do funil, ou seja, com mais probabilidade de adquirir um produto ou serviço.

Leia este artigo e fique por dentro do conceito do funil de vendas.

Por esse motivo, a etapa primordial que vai fazer toda diferença nos resultados dos seus anúncios, é a pesquisa de palavras-chave.

Ao pesquisar os termos que as pessoas buscam na internet e que podem se relacionar com o serviço que você oferece, será possível mostrar anúncios para quem está mais preparado para fechar um contrato advocatício.

Na própria plataforma do Google Ads há um planejador de palavras-chave, onde é possível fazer pesquisas e verificar a quantidade de buscas para cada termo.

Além disso, existem outras ferramentas que podem ajudar na pesquisa de palavras-chave, como Semrush, Ubersuggest e Google Trends.

Já quando falamos em público-alvo, estamos falando das características das pessoas que você deseja alcançar com os seus anúncios.

É importante entender dados como a localização e idade desse público, de maneira que a segmentação de suas campanhas fique cada vez mais personalizada.

Página de destino e experiência do usuário

No momento da criação do anúncio, é necessário indicar qual é a página de destino que será aberta no navegador após o clique do usuário.

Essa página precisa “conversar” com o que foi dito no anúncio, pois o usuário clicou em algo que despertou a sua atenção e sua expectativa não pode ser quebrada.

Por exemplo: um anúncio que diz: Advogado especialista em divórcio não pode ter uma página de destino com conteúdo sobre dúvidas trabalhistas.

Entende que você precisa acertar na comunicação da sua página? Além da expectativa que deve ser suprida, é importante pensar na experiência que o usuário vai ter na página.

Alguns pontos relevantes:

1- Sites que se adaptam a diferentes tamanhos de telas (hoje o maior acesso na internet é feito por celular);

2- Sites que carregam rápido e que não são pesados;

3- Sites que possuam informações claras sobre o que você deseja que o usuário faça na página. As pessoas tendem a ficar menos tempo em páginas confusas ou poluídas visualmente.

Tipos de campanhas mais indicadas para advogados

Rede de pesquisa

Formato mais conhecido e utilizado por advogados, são aqueles 3 ou 4 primeiros anúncios que aparecem na página do Google como resultados de pesquisa (podem aparecer ao final da página também).

São os links patrocinados que alcançam pessoas que estão buscando algum produto ou serviço ou querem tirar dúvidas sobre determinados temas.

Rede de display

Anúncios de rede de display são veiculados em outras plataformas do Google, como o Youtube ou Gmail e em sites parceiros.

Pode ser interessante para quem deseja anunciar em sites com segmentações específicas.

A rede de display costuma ser bastante útil para advogados que buscam trabalhar o seu reconhecimento de marca, através de banners e elementos interativos.

Anúncios do Youtube

Anúncios em vídeo podem gerar bastante engajamento e já são utilizados por muitos advogados e escritórios de advocacia no país.

O profissional pode criar vídeos para esclarecer dúvidas jurídicas, comentar notícias e assim vai gerando valor e confiança no espectador que está sendo impactado com aquele conteúdo.

Dica: durante a criação do material, busque prender a atenção do usuário nos primeiros segundos do vídeo, por meio de chamadas e copys que vão fazer com que ele continue vendo o conteúdo até o final.

Descoberta

Campanha multicanal e de alcance amplo, a Discovery entrega anúncios em diferentes locais: no Google Notícias de quem acessa pelo celular, Gmail e Youtube.

Os advogados que utilizam anúncios mais criativos podem se engajar melhor nesse tipo de campanha e contar com recursos avançados da plataforma, que busca entregar o anúncio para a pessoa certa.

Vantagens do Google Ads para advogados

O advogado que utiliza o Google Ads costuma ter um retorno muito rápido de oportunidades, diferentemente do SEO que gera resultados a longo prazo.

Além do mais, as campanhas começam a ser veiculadas em poucas horas após a ativação, alcançando o público em um curto período de tempo.

Um ponto que já falamos e que pode ser um diferencial para quem utiliza o Google Ads, são as segmentações que permitem que os anúncios atinjam clientes específicos, de acordo com o seu planejamento.

E por último, mas não menos importante, temos a análise de resultados. A plataforma do Google Ads possui diversos tipos de relatórios e um dashboard com visão geral de todas as informações relevantes para o seu negócio, como o custo por clique de anúncios, valores investidos, público-alvo e etc.

Sou advogado e quero anunciar no Google Ads. O que preciso fazer?

Inicialmente, a nossa primeira dica para você que deseja começar a anunciar no Google, é criar um planejamento estratégico para desenvolver cada uma das seguintes etapas:

1- Quem é o público para o qual você deseja anunciar;

2- Quais são as palavras-chave que você deseja utilizar (cruze sua área de atuação com o que as pessoas têm buscado);

3- Quais serão as páginas de destino para os seus anúncios (já possui um site, blog ou landing page?);

4- Se pensa em trabalhar com anúncios de vídeo, estruture um canal no Youtube e a produção desse tipo de conteúdo;

5- Defina como será o processo de atendimento para contatar os potenciais clientes que virão dos anúncios.

Parece ser muita coisa né? E realmente é mesmo! Como já dissemos, anunciar é uma parte do processo.

Agora, quando partimos para a criação, acompanhamento e otimização das campanhas no Google Ads, estamos falando de um serviço recorrente e que precisa de atenção.

Por esse motivo, o mais indicado é contar com algum gestor de mídia ou agência que ofereça essa prestação de serviço.

Busque profissionais especializados em marketing jurídico e que saibam as particularidades de anunciar serviços advocatícios no Google Ads, assim você conta com o auxílio de alguém que pode te ajudar a evoluir na sua estratégia.

Clique aqui e conheça nossos planos de assinatura.

 

Gostou do conteúdo? Então continue acompanhando nosso blog, frequentemente postamos artigos relacionados à marketing jurídico, carreira e inovação.

 

Que o marketing de conteúdo jurídico usa de textos e posts para atrair e engajar clientes, você já deve saber. Mas como deve ser o tipo de texto usado nessa estratégia?

Será que escrever um blog post do mesmo jeito que escrevemos uma petição direcionada ao Juiz, um e-mail a um cliente, ou um artigo jurídico, é uma boa ideia? E mesmo se você decidir simplificar a sua linguagem para seu blog post, será que isso é suficiente para tornar seu texto persuasivo? A resposta para essas duas perguntas é não.

E a alternativa que existe para resolver esses problemas é o copywriting (ou copy).

Nesse artigo, vamos compreender o que é o copy (que não tem nada a ver com cópia e nem com o copyright do sistema de direitos autorais). Conheça as técnicas de copy que fazem conteúdos de marketing jurídico se tornarem mais agradáveis e inspirarem leitores a se tornarem clientes.

Entendendo o marketing de conteúdo jurídico

No nosso artigo anterior Conteúdo e Inbound Marketing Jurídico, falamos sobre o que o conteúdo significa no contexto do marketing jurídico, e sobre como ele pode ser usado de forma estratégica para alcançar seus objetivos dentro do marketing.

Conforme dissemos,

“(…)  está mais que provado que conteúdo é sim uma ferramenta de marketing estratégico para as marcasConteúdo não é  entretenimentojornalismoinformação. É tudo isso, mas imbuído de um propósito — que inclusive deve estar alinhado com as estratégias e valores de comunicação da sua marca jurídica.”

Agora, chegou a hora de entender como a estratégia criada para seu conteúdo se materializa em textos.

A essa altura, você também já deve saber que a produção de conteúdo para marketing jurídico não é a mesma coisa que a produção acadêmica, ou do dia a dia jurídico (peticionamento, redação de contratos e pareceres etc).

Naturalmente, são tipos de textos diferentes, pois têm objetivos e públicos diferentes.

Mas produzir conteúdo de marketing jurídico vai muito além de apenas evitar o “juridiquês” e tentar ser mais acessível para o seu cliente que é leigo em Direito. Há muito mais técnica e estratégia além da clareza e acessibilidade. Estamos falando de copywriting.

 

O que é o copywriting?

Copy, ou copywriting (não confundir com copyright, nem com cópia), é uma modalidade de escrita usada em peças de marketing e publicidade. É um grande aliado do inbound marketing, o marketing focado em atração de clientes e que é o grande “guarda-chuva” sob o qual o marketing de conteúdo está localizado.

Se, primeiramente, o inbound marketing (por meio do website, SEO e planejamento de pautatrabalha para fazer as pessoas clicarem no seu site, o copy trabalha para fazer a pessoa ter vontade de ler o seu textosentir-se convencido por ele e praticar alguma ação depois.

O copy usa técnicas para tornar a sua redação mais atraente e persuasiva.

Nos conteúdos feitos para plataformas digitais, o copy também incorpora conceitos de UX (User Experience, ou experiência do usuário) para conseguir captar a atenção do leitor, ou evitar a rejeição.

Assim, aumenta-se as chances de o leitor querer ler, e querer “comprar” a sua ideia.

Não se trata de uma escrita no formato “propaganda” — inclusive, na maior parte dos conteúdos usados no marketing de conteúdo, não há a divulgação ou comercialização direta de algum produto ou serviço.

Na verdade, o copy atua na transmissão de um conteúdo informativo, educativo, sobre temas relacionados à área de atuação de uma pessoa ou empresa.

Essa é a essência do marketing de conteúdo: informar o público, satisfazer dúvidas e posicionar-se como uma autoridade naquele assunto. Essa autoridade irá se refletir na escolha do consumidor, quando ele contratar um profissional ou comprar um produto.

Quais técnicas são usadas no copywriting?

O copywriting abrange várias técnicas que usamos para tornar seu texto mais agradável, persuasivo, e com maior potencial para ser ranqueado no Google. Conheça algumas dessas técnicas:

  • Escaneabilidade – técnicas para tornar o texto “escaneável”, ou seja, tornar o texto mais fácil de ser assimilado em uma “olhada rápida”, tornar a leitura menos cansativa, tornar os subtópicos mais fáceis de serem identificados. Por exemplo: técnicas de paragrafação, uso de bullet points, divisão do tema em subtítulos;
  • Gatilhos mentais – palavras, expressões e técnicas para engajar e persuadir o leitor. Por exemplo: prova social, storytelling, senso de urgência e escassez;
  • CTA (call to actionou chamada para ação) – terminar o artigo com um convite para fazer algo: ler outro texto, assinar newsletter, comentar, ou mesmo a típica conclusão de artigos de marketing de conteúdo jurídico: “Se você tem dúvidas sobre esse assunto, procure um advogado especializado” (essa é permitida pela OAB!);
  • Uso de palavras-chave – focar em palavras específicas para reforçar o tema na mente do leitor, fazendo com que ele crie uma associação entre você e aquela palavra (e o Google também! O uso de palavras-chave é essencial para fazer seu conteúdo ranquear bem no Google);
  • Uso de palavras de transição – criar conexões entre as frases, facilitando a leitura e criando “pausas”, como em um diálogo. Por exemplo: “Então”, “Mas”, “Sendo assim”;
  • E várias outras, inclusive o SEO para indexar melhor o conteúdo no Google.

Aprofunde seu conhecimento em marketing de conteúdo jurídico

Como você percebeu, o copywriting é uma ferramenta estratégica formada de pequenos detalhes que, dentro de um contexto geral, fazem a diferença para engajar pessoas.

Assim como o conteúdo e o copywriting, o marketing jurídico tem várias outras técnicas, estratégicas e dicas para aumentar suas chances de se tornar conhecido, construir autoridade, e atrair pessoas de forma voluntária para o seu site e seu escritório.

 

 

Sobre o autor

Alexandre de Souza Teixeira é Head e Sócio Fundador da In Company e especialista em marketing jurídico há 16 anos. Para conhecer mais sobre o trabalho do Alexandre, acesse seu site clicando aqui!

 

O SEO para marketing jurídico pode parecer um tanto quanto técnico demais para um advogado que dá seus primeiros passos no marketing digital. Mas quando se entende o quanto o Google, as redes sociais e as plataformas agregadoras de conteúdo em geral são importantes, o SEO se torna indispensável.

Saber sobre SEO é saber falar a língua dos algoritmos que regem a Internet, então você não pode deixar de aprender sobre isso.

Neste artigo, preparamos noções básicas para um advogado entrar no mundo do SEO para marketing jurídico. Acompanhe a leitura!

Entrando no mundo do SEO para marketing jurídico

Afinal, o que é SEO? E por que um advogado precisa se importar com isto?

O SEO (Search Engine Optimization) é um conjunto de técnicas que facilitam o posicionamento de sites e blogs no Google. As técnicas de otimização para mecanismos de busca ajudam seu blog e site a “ranquear” (aparecer em boas posições) no Google, aumentando as chances de ser encontrado, e reforçando a sua autoridade ao fazer com que você apareça no topo do Google, o que mostra que é um profissional bastante procurado.

Além disso, o SEO aplicado à redação dos seus blog posts ajuda seus conteúdos a “dominarem” o Google, o que é excelente para fortalecer a associação do seu nome com os serviços que você presta.

É o que acontece quando uma pessoa pesquisa por um tema (por exemplo: uma doença ou um procedimento médico específico) e encontra diversos conteúdos sobre ele, todos publicados por um mesmo médico.

Esses resultados vão formar a percepção de que o autor do texto é uma autoridade naquele tema.

Entendendo os diferentes tipos de SEO

O SEO que diz respeito à programação do website é o SEO técnico. A “modelagem” do site precisa estar otimizada conforme regras de SEO. Isso começa pela escolha da hospedagem, a plataforma e o provedor do site.

O SEO que diz respeito ao conteúdo textual do seu site é o SEO de conteúdo. Ele envolve um planejamento de palavras-chave para a página inicial e para cada página do site; além, também, da metadescrição de cada página e slugs/URLs com boas palavras.

Por fim, temos o SEO dos blog posts. Cada post do seu blog deve ter o seu SEO próprio, com palavras-chaves muito bem coordenadas. Ferramentas como o plugin Yoast SEO pode ajudar a melhorar a composição das palavras chaves, a frequência e lugar em que elas aparecem no seu texto.

Entendendo a natureza sempre mutável do SEO

Dominar SEO é falar a língua do algoritmo, basicamente. É importante entender como os algoritmos do Google e das redes sociais funcionam para saber jogar esse jogo.

E o Google está sempre aperfeiçoando seus algoritmos, pois está sempre em busca de prover as melhores informações para seu usuário, e assim, manter-se como o mecanismo de busca número 1.

Durante muito tempo, o algoritmo de busca buscava por um determinado padrão de palavras usadas e repetidas em seções estratégias dos textos, o que fazia com que muitos redatores produzissem de modo quase que robótico.

Aliás, o adjetivo “robótico” descreve bem a situação que se sucedeu após muitos profissionais terem compreendido o funcionamento do algoritmo.

Viu-se o surgimento de softwares e outros mecanismos de produção de conteúdo ajustados para SEO; ou seja: muitos textos sequer eram escritos por seres humanos!

Percebendo isso, o Google novamente aperfeiçoou seu sistema de busca.

Hoje, em 2022, vemos que seu algoritmo está “treinado” para priorizar conteúdos mais humanos, com escrita natural, clara, legível e acessível, rejeitando conteúdos que trazem gramática duvidosa e repetições abusivas de keywords (palavras-chave).

O Google também gosta bastante de conteúdos longos, pois entende que a chance de esses conteúdos terem mais informação relevante são melhores.

Outra coisa que o Google gosta é de conteúdos cheios de perguntas e respostas. Afinal, é comum que o usuário digite perguntas na barra de busca do Google. Se o seu conteúdo tem essa mesma pergunta, e uma resposta logo em seguida, é alta a chance de que o Google indique essa resposta e direcione o usuário ao seu texto.

Escrita jurídica e SEO para marketing jurídico: como ser compatível?

A linguagem jurídica é caracterizada pelo uso de termos complexos e bastante específicos.

Também são usados muitos termos em latim (“ad hoc”, “causa mortis”, entre outros); ou ainda, termos da língua portuguesa que são usados com conotação diferente (por exemplo: “prescrição”, “alimentos”).

Porém, a menos que a sua intenção seja atrair estudantes de Direito e juristas para seu blog ou site, é preciso ter em mente que o uso excessivo de “juridiquês” não é uma boa estratégia de SEO.

Afinal, seu conteúdo precisa transmitir seriedade, conhecimento e credibilidade – mas também é importante que ele seja acessível.

O excesso de expressões jurídicas pode dificultar o ranqueamento do seu site no Google, pois o algoritmo pode classificar seu texto como sendo técnico ou segmentado demais.

Dificilmente um usuário que precisa de orientação jurídica vai procurar no Google por uma expressão como “ação de nunciação de obra nova”, por exemplo; é mais provável que ele procure por “meu vizinho está construindo no meu terreno”.

Por isso, seja moderado no uso de expressões jurídicas e evite uma linguagem muito rebuscada – a menos, é claro, que isso se justifique pelo público alvo que você pretende alcançar.

É importante escrever de forma clara, explicando as situações e conceitos jurídicos de várias formas e ângulos diferentes para facilitar a compreensão do leitor, inclusive fazendo uso de estratégias de LSI (Latent Semantic Index), com o uso de várias palavras que remetam ao mesmo significado.

 

Sobre o autor

Alexandre de Souza Teixeira é Head e Sócio Fundador da In Company e especialista em marketing jurídico há 16 anos. Para conhecer mais sobre o trabalho do Alexandre, acesse seu site clicando aqui!